Igreja de São João Batista

Localização: Rua 13 de maio, esquina com a rua da Paz.

A Igreja de São João Batista está localizada no cruzamento entre a Rua de São João e a Rua da Paz, no centro de São Luís, Maranhão. Abrigou o túmulo de Joaquim Silvério dos Reis, traidor da Inconfidência Mineira falecido em 1819.

Existe uma lenda relacionada a esta igreja, na qual o governador do Maranhão na época, Ruy Vaz de Siqueira, teria que construir como forma de penitência, pois o mesmo tinha um caso amoroso com uma mulher aristocrata casada. Com isso, afim de evitar um escândalo, teria prometido a São João Batista erguer uma igreja em sua homenagem se seu relacionamento não fosse descoberto. A construção da igreja foi realizada em 1665.

A igreja foi elevada à categoria de paróquia em 10 de maio de 1857, passando a abranger as igrejas de Sant’Anna e Santo Antônio. Recebeu melhorias em 1862 pelo governador Inácio Coelho da Silva. Em 1867, o largo de São João recebeu calçamento. E em 1934, a igreja passou por uma grande reforma, sendo reconstruída.

A Igreja de São João Batista tem estilo neoclássico. Possui quatro colunas com capitel em estilo coríntio, uma porta central e acima desta, cinco janelas. Suas duas torres são diferentes, fazendo com que a igreja tenha aspecto assimétrico, o que é considerado uma fuga do padrão neoclássico e um exemplo de sincretismo com outros estilos arquitetônicos. A fachada inclui ainda um frontão com o símbolo do Santo Nome de Jesus (IHS). Sobre ele, há uma cruz de ferro e abaixo, a inscrição em latim SANCTI JOANNIS BAPTISTÆ ECCLESIA, que significa Igreja de São João Batista. Os anos 1665 e 1934 inscritos nas duas torres indicam as datas da construção por Ruy Vaz de Siqueira e da última grande reforma.