Festa do divino espírito Santo

Local: Alcântara/ São Luís (terreiros de Mina) 


A festa do Divino Espírito Santo, que relembra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos, é uma das mais expressivas festas do calendário cultural e religioso do Maranhão. Em São Luís, é muito celebrada nos terreiros de mina, enquanto em Alcântara se caracteriza como uma festa tipicamente católica, sendo muitas de suas cerimônias realizadas na igreja local.
Teve sua origem em Portugal, com a construção da Igreja do Espírito Santo em Alenquer, no século XIII, por ordem da rainha Dona Isabel, a festa chegou ao Brasil no século XVI com os colonizadores.  
É realizada no mês de maio ou junho, terminando no Domingo de Pentecostes, sendo que desde o Sábado de Aleluia, os festeiros começam a se preparar para o grande dia em que o imperador recepciona seus convidados com um almoço e farta mesa de doces.
            Em Alcântara, imperador e imperatriz, mordomo-régio e mordoma-régia alternam-se a cada ano. Os festeiros são escolhidos com um ano de antecedência, tornando a festa do Divino de Alcântara a maior festa do Maranhão, uma vez que seu ciclo dura um ano.
É o tempo necessário para que o imperador e mordomo-régio festeiros se preparem para promover a maior festa da cidade. Para representá-los no trono são escolhidas crianças ou adolescentes. Além do imperador, mordomo-régio e mordomos-baixos, que compõem o império fictício é reconstituído a cada ano durante a festa e as caixeiras acompanham o cortejo tocando pequenos tambores. Após a missa e cerimônia dos impérios, o mastro é derrubado e acontece o carimbó das caixeiras (são mulheres de uma forma geral negras, com mais de cinquenta anos).